terça-feira, Maio 22, 2018
Home > Notícias > EMBAIXADOR DA LIGA DOS ESTADOS ÁRABES É ACUSADO DE ASSÉDIO MORAL

EMBAIXADOR DA LIGA DOS ESTADOS ÁRABES É ACUSADO DE ASSÉDIO MORAL

Embaixador da Liga dos Estados Árabes- Nacer Alem- foto - ana de oliveira - AIG-MRE
EMBAIXADOR NACER ALEM EXPULSOU A COPEIRA DA REPRESENTAÇÃO AOS BERROS (FOTO: ANA DE OLIVEIRA/ AIG-MRE)

O embaixador da Liga dos Estados Árabes, Nacer Alem, é acusado de cometer assédio moral contra funcionários da embaixada, em Brasília. Aos berros, ele expulsa a copeira da representação. Ele teria, inclusive, a agarrado pelo braço e levado para fora. O caso aconteceu no último dia 15 e foi parar na 10ª Delegacia de Polícia, no Lago Sul, com registro de ocorrência.

Segundo a ex-funcionária Rafaela Magalhães, 26 anos, a gritaria começou porque Alem havia dito que ela iria trabalhar na residência dele. “Com educação, eu falei que não iria porque fui contratada para trabalhar na embaixada. Ele não aceitou, veio com ignorância, gritando. Até os vizinhos saíram para ver oque estava acontecendo na embaixada”, contou. De acordo com ela, em outra língua, ele gritava e fazia gestos com a mão para ela sair. “Eu não estava entendendo nada. Eu saí, ele foi atrás de mim, começou a falar, me pegou pelo braço e me colocou para fora da embaixada. Fiquei sem saber o que fazer, chorando”, explicou. Um vídeo feito por funcionários mostra o momento em que Rafaela é expulsa do local.

A embaixada fica localizada na QI 26 do Lago Sul e a residência do embaixador, na QI 23 do mesmo bairro. Rafaela conta que não é a primeira a sofrer com o assédio moral. Segundo ela, é comum o embaixador gritar com os funcionários, batendo sempre com a mão na mesa e gesticulando.

As denúncias vão além. De acordo com Rafaela, desde que assumiu a embaixada, Alem determinou o corte na compra de galões de água para os funcionários e teria proibido o horário de almoço, retirando o botijão de gás da copa. “A embaixada compra três galões ao custo de R$ 25 e ele falou que não queria ter esse custo com os funcionários”, lamenta. Rafaela explica que a embaixada é pequena, com cerca de cinco funcionários. E todos trabalham com medo.

A ex-copeira trabalhava com carteira assinada. Segundo ela, o embaixador alega que vai fazer novo contrato para que ela vá trabalhar na residência dele. “Ele me expulsou. Estou vendo com o sindicato, temos uma reunião na embaixada amanhã (27) porque ele não quer pagar meu aviso prévio. Estou correndo atrás dos meus direitos. Eu não quero voltar, tenho medo. Para mim ele é louco, não é uma pessoa normal”, completou.

Segundo a assessoria de imprensa da embaixada, Nacer Alem fala três idiomas: árabe, francês e inglês. Questionada sobre o ocorrido, a assessoria ainda não se posicionou.

Confira o vídeo:

 

Fonte: Diário do Poder